Como a nutrição pode reduzir as enxaquecas

A enxaqueca é uma desordem neurológica, caracterizada por episódios de dor de cabeça intensa e persistente, decorrente de diversos gatilhos – como alterações hormonais, problemas imunológicos e doenças existentes 1,2.

No âmbito nutricional, a alimentação saudável desempenha um importante papel na redução deste sintoma que afeta grande parte da população. Aumentar o aporte de vitamina D, por exemplo, é uma das condutas propostas por alguns estudos. Um recente estudo realizado com pacientes que apresentavam sintomas recorrentes de enxaqueca mostrou que o aumento nos níveis de vitamina D promoveu redução no tempo do sintoma. Desta forma, aumentar o consumo de fontes de vitamina D – como ovos e peixes – pode ser uma interessante estratégia3.

As vitaminas do complexo B também são importantes. Uma análise realizada na Austrália, com mulheres que apresentavam enxaqueca, mostrou positiva associação entre polimorfismo no metabolismo de folato e a severidade dos sintomas. Desta forma, o adequado consumo de folato nestas condições pode reduzir a frequência dos episódios de enxaqueca4. A riboflavina é outra vitamina que ganha destaque, sendo correlacionada com redução da enxaqueca e suas consequências, de forma segura5. Vale ressaltar que a sinergia entre as vitaminas do complexo B é um fator para otimizar os resultados, e podemos encontrar este grupo de vitaminas em frutas, verduras, legumes, cereais integrais e oleaginosas.

De forma complementar, os alimentos anti-inflamatórios desempenham importante atuação na redução de reações inflamatórias – um dos principais gatilhos para o sintoma. Para enfatizar esta importância, um estudo que envolveu o consumo de ômega 3 e curcumina – composto bioativo da Curcuma longa – mostrou redução nas concentrações de marcadores inflamatórios em pacientes que apresentavam enxaqueca, indicando um possível benefício neste contexto6.

Desta forma, a alimentação saudável – bem como a sinergia entre os nutrientes – exerce positivo impacto na redução do risco de enxaqueca e suas morbidades, melhorando a qualidade de vida de pessoas que são afetadas por este sintoma.

Referências Bibliográficas:

1-DIETERICH, M.; OBERMANN, M.; CELEBISOY, N. Vestibular migraine: the most frequent entity of episodic vertigo. J Neurol; 263(Suppl 1): 82-89,2016.

2- LERSEN, J.S.; SKAUG, E.A.; WISLOFF, U. et al. Migraine and endothelial function: the HUNT3 study. Cephalgia; 2016.

3-GAZERANI, P.; FUGLSANG, R.; PEDERSEN, J.G. et al. A randomized, double-blinded, placebo-controlled, parallel trial of vitamin D3 supplementation in adult patients with migraine. Curr Med Res Opin; 28:1-9, 2018.

4- MENON, S.; LEA, R.A.; INGLE, S. et al. Effects of dietary folate intake on migraine disability and frequency. Headache; 55(2):301-309,2015

5-NAMAZI, N.; HESHMATI, J.; TARIGHAT-ESFANJANI, A. Supplementation with riboflavin (Vitamin B2) for migraine prophylaxis in adults and children: a review. Int J Vitam Nutr Res; 85(1-2):79-87, 2015.

6-ABDOLAHI, M.; SARRAF, P.; JAVANBAKHT, M.H. et al. A novel combination of w-3 fatty acids and nano-curcumin modulates interleukin-6 gene expression and high sensitivity C- reactive protein serum levels in patients with migraine: a randomized clinical trial study. CNS Neurol Disord Drug Targets; 17(6): 430-438, 2018.

 

Você também pode gostar de:

_

O Kombucha é uma bebida preparada a partir da infusão ou decocção de plantas – como a Camellia sinensis - em associação a uma colônia bacteriana de Kombucha, conferindo atuação probiótica em nosso organismo.  Desta forma, seu consumo tem sido relacionado com melhora da saúde intestinal1-3.

Além da presença de bactérias probióticas, os compostos fenólicos da bebida também são responsáveis pelo efeito benéfico na saúde intestinal. Um recente estudo mostrou que a concentração de compostos fenólicos – especialmente a catequina – exerceu efeito bactericida, mediado por danos nas membranas das bactérias patogênicas, potencializando o efeito modulador da microbiota4.

Ainda, o Kombucha tem sido proposto como agente antioxidante. Em um estudo em ratos induzidos à obesidade por meio de dieta hiperlipídica e com altos teores de frutose observou-se que a administração de kombucha reduziu o estresse oxidativo, com redução de peroxinitrito. Além desta interessante contribuição, os autores também constataram melhora do perfil glicêmico, concomitante à redução da atividade de enzimas que participam do metabolismo de carboidratos – como a alfa amilase e alfa glicosidase5.

Para complementar, outro estudo experimental mostrou que a administração de Kombucha, além de reduzir o estresse oxidativo, reduziu as concentrações de colesterol total e melhorou as atividades do fígado e dos rins, em comparação ao grupo que não recebeu a intervenção6.

Embora ainda não seja evidente a atuação do kombucha em estudos clínicos, sabe-se que seus efeitos metabólicos podem ser interessantes para melhora da saúde intestinal e redução do risco de doenças, quando seu consumo for associado a bons hábitos alimentares e de vida.

Referências Bibliográficas:

1-ERNST, E. Kombucha: a systematic review of the clinical evidence. Forsch Komplementarmed Klass Naturheikd; 10(2):85-7, 2003.

2-NGUYEN, N.K.; DONG, N.T.; NGUYEN, H.T. et al. Lactic acid bactéria: promising supplements for enhancing the biological activities of kombucha. Springerplus; 4:91, 2015.

3-VILLARREAL-SOTO, S.A.; BEAUFORT, S.; BOUAJILA, J. et al. Understanding Kombucha tea fermantation: a review. J Food Sci; 83(3):580-588, 2018.

4-BHATTACHARYA, D.; GHOSH, D.; BHATTACHARYA, S. et al. Antibacterial activity of polyphenolic fraction of Kombucha against Vibrio cholerar: targeting cell membrane. Lett Appl Microbiol; 6(2):145-152, 2018.

5-GAMBOA-GÓMEZ, C.I.; SIMENTAL-MENDÍA, L.E.; CONZÁLEZ-LAREDO, R.F. et al. In vitro and in vivo assessment of anti-hyperclycemic and antioxidante effects of oak leaves (Quercus convallata and Quercys arizonica) infusions and fermented beverages. Food Res Int; 102:690-699, 2017.

6-BELLASSOUED, K.; GHRAB, F.; MAKNI-AYADI, F. et al. Protective effect of kombucha on rats fed a hypercholesterolemic diet is mediated by its antioxidante activity. Pharm Biol; 53(11):1699-709, 2015.

Benefícios do Kombucha