Consumo de ovos pode aumentar o risco de alterações metabólicas?

O consumo de ovos era muito questionado há anos atrás, devido à hipótese de que seu conteúdo de colesterol poderia interferir na saúde cardiovascular, aumentando o risco de alguns desfechos metabólicos1.

Entretanto, nos últimos anos, tornou-se crescente o número de pesquisas que indicam que esta hipótese não é verdadeira. Uma recente análise realizada com paciente diagnosticados com diabetes tipo 2 mostrou que o consumo de 12 ovos por semana não promoveu mudanças significativas em parâmetros cardiometabólicos em comparação ao grupo que consumiu 2 ovos por semana. Nesta análise, os participantes receberam instruções sobre alimentação saudável, fato que, certamente, contribui com estes resultados positivos2.

Com relação ao consumo diário, um estudo que envolveu 26 pesquisas sobre a associação entre o consumo de ovos e síndrome metabólica identificou que o consumo de 1 ovo por dia reduziu a prevalência de síndrome metabólica de forma significativa, em comparação aos indivíduos que apresentaram menor frequência neste consumo. Ainda, o consumo de 2 ovos por dia não foi correlacionado com o aumento no risco de alterações metabólicas3.

De forma complementar, um recente estudo publicado no European Journal of Clinical Nutrition enfatizou que hábitos alimentares errôneos – associados ao sedentarismo e predisposição genética – são mais relevantes para o aumento no risco metabólico do que o consumo de um alimento isolado, como ovo4.

Ainda, é importante ressaltar que os ovos apresentam diversos nutrientes e compostos bioativos4, que contribuem com as nossas necessidades diárias. Portanto, seu consumo pode contribuir com muitos benefícios, sendo uma ótima estratégia nutricional, quando associado a uma alimentação saudável e individualizada.

Referências Bibliográficas                                

1-DUSSAILLANT, C.; ECHEVERRÍA, G.; ROZOWSKI, J. et al. Egg intake and cardiovascular disease: a scientific literature review. Nutr Hosp; 34(3):710-718, 2017.

2-FULLER, N.R.; SAINSBURRY, A.; CATERSON, I.D. et al. Effect of a high-egg diet on cardiometabolic risk factors in peole with type 2 diabetes: the Diabetes and EGG (DIABEGG) study-randomized weight-loss and follow-up phase. Am J Clin Nutr; 107(6):921-931, 2018.

3-PARK, S.J.; JUNG, J.H.; CHOI, S.W. et al. Associations between egg consumption and metabolic disease. Korean J Food Sci Anim Resour; 38(2):209-223, 2018.

4-GEIKER, N.R.W.; LARSEN, M.L.; DYERBERG, J. et al. Egg consumption, cardiovascular diseases and type 2 diabetes. Eur J Clin Nutr; 72(1):44-56, 2018.

Você também pode gostar de: