Produção de vinhos com uvas biodinâmicas

Os benefícios do vinho para a saúde são muito estudados, e um dos pioneiros desses estudos no Brasil é o doutor Protásio Lemos da Luz, do Instituto do Coração (Incor)que estuda há quinze anos esses benefícios. O mais recente estudo dele é sobre os efeitos do vinho na flora intestinal. Nós produzimos no intestino uma enzima que está associada com o desenvolvimento da aterosclerose e o que está sendo pesquisado é se o resveratrol, substância encontrada no vinho, pode controlar essa enzima. Para esta avaliação, o grupo de pesquisa oferecerá aos participantes uma dose diária de 250 ml de vinho tinto (dose máxima recomendada pelos médicos) durante três semanas. Os resultados ainda não foram publicados, mas sendo positivos, reforçarão ainda mais os benefícios desta bebida à saúde do coração. Vale lembrar que apesar deste efeito protetor do vinho, o uso excessivo de álcool pode trazer vários malefícios. Neste sentido, até mesmo para pessoas que não podem consumir bebidas alcoólicas, o suco de uva é uma ótima alternativa, e tem os mesmos benefícios que o vinho, de acordo com outras pesquisas também realizadas pelo Dr. Protásio.

Apesar destes benefícios, as uvas são uma das frutas mais contaminadas por resíduos de agrotóxicos, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Portanto, devemos preferir o consumo de uvas orgânicas ou biodinâmicas, pois são cultivadas sem a utilização de fertilizantes químicos ou pesticidas. Mas estas frutas não seriam mais vulneráveis ao ataque de pragas e, por isso, a grande utilização de agrotóxicos para melhorar a sua produção e qualidade desta pergunta foi respondida em um estudo recente que comparou a evolução da microbiota de uvas cultivadas pelo método convencional e pelo biodinâmico, durante a fase final de maturação e fermentação do vinho em um ano. O vinhedo observado foi subdividido em duas partes, cultivado usando uma técnica biodinâmica e tradicional durante um ano entre diversas combinações de eventos adversos em termos de tempo, sendo criada as condições para a proliferação de pragas. Como agrotóxicos não foram utilizados, as pragas foram neutralizadas com uso moderado de extratos de cobre, enxofre e vegetais e com uso intensivo de práticas agronômicas que visam melhorar a saúde das vinhas. A partir de testes agronômicos, microbiológicos e químicos mostraram que a resposta das vinhas biodinâmicas foram comparáveis ou melhores que as vinhas convencionais.

As conclusões do estudo sugerem que o cultivo biodinâmico da videira pode ser sustentável, mesmo que em condições difíceis, o que representa uma alternativa interessante às abordagens tradicionais de cultura da videira, reforçando, então, a ideia de que sob cuidados adequados, as videiras conseguem se desenvolver e gerar frutos com qualidade e rentabilidade sem a necessidade de utilização de pesticidas.

Referências bibliográficas:

GUZZON, R. et al. Evaluation of the oenological suitability of grapes grown using biodynamic agriculture: the case of a bad vintage. Journal Of Applied Microbiology; 120(2):355-65, 2016.

INCOR( INSTITUTO DO CORAÇÃO). Efeito protetor do vinho no coração.2016. Disponível em:< http://www.incor.usp.br/conteudo-medico/geral/vinho%20e%20o%20coracao.html>.

ANVISA (AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA). Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA). ANVISA; 2016. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/programa-de-analise-de-registro-de-agrotoxicos-para>.

 

Você também pode gostar de: