Problemas de trato respiratório em atletas: como nutrição pode ajudar?

Os problemas respiratórios são prevalentes em atletas, especialmente em modalidades de endurance. Esta correlação é evidente, por conta das diversas reações bioquímicas que acontecem durante a prática, que podem predispor a alterações leucocitárias, redução de proteção de mucosa- por meio de redução de Imunoglobulina A (IgA) – e, ainda, reações broncoconstritoras 1-3.

Embora essas condições estejam mais relacionadas com o tipo de exercício praticado, alterações climáticas, período de competição e nível de adaptação à modalidade, os fatores nutricionais também podem exercer importante influência, sendo a deficiência de alguns nutrientes relatada como potente gatilho1-3.

Neste contexto, um estudo realizado com oito indivíduos acometidos por asma – induzida por exercício – mostrou que as vitaminas antioxidantes – como Vitamina C e Vitamina E – podem ajudar a melhorar a função pulmonar que estava prejudicada por esta alteração. Assim, fontes destas vitaminas – como as frutas cítricas, verduras verde escuras e oleaginosas – podem otimizar vias imunológicas no atleta e sua performance esportiva, por consequência.4.

A vitamina A também é considerada como imprescindível no que se refere a alterações de trato respiratório. Sua atuação está correlacionada com a redução de citocinas pró-inflamatórias, concomitante ao aumento no estímulo para produção de IgA e modulação de linhagens celulares que fazem parte do trato respiratório, promovendo proteção das células epiteliais. Embora esta atuação ainda não seja bem documentada em atletas, o consumo de fontes desta vitamina – principalmente alimentos alaranjados – pode ser uma interessante estratégia imunomoduladora5.

A vitamina D é outro nutriente importante para o sistema imunológico. Um estudo que envolveu atletas, em período de inverno, identificou que a administração de vitamina D aumentou os níveis de IgA salivar, promovendo maior proteção de mucosa. Este resultado indica que a vitamina D – presente em peixes e ovos – pode reduzir o risco de infecções de trato respiratório, que são aumentadas durante o inverno6.

Portanto, o adequado aporte destas vitaminas confere benefícios imunológicos ao atleta, que podem melhorar sua performance esportiva e qualidade de vida.

Referências Bibliográficas:

1-COUTO, M.; SILVA, D.; DELGADO, L. et al. Exercise and airway injury in athletes. Acta Med Port; 26(1):56-60, 2013.

2-MORAES, H.; AOKI, M.S.; FREITAS, C.G. et al. SIgA response and incidence of upper respiratory tract infections during intensifield training in youth basketball players. Biol Sport; 34(1):49-55, 2017.

3-SURDA, P.; WALKER, A.; LIMPENS, J. et al. Nasal changes associated with exercise in athletes: systematic review. J Laryngol Otol; 132(3):191-197, 2018.

4-KURT, S.P.; MURPHY, J.D.; FERGUSON, C.S. et al. Improved lung function following dietary antioxidante supplementation in exercise-induced asthmatics. Respir Physiol Neurobiol; 220:95-101, 2016.

5-PENKERT, R.R.; JONES, B.G.; HACKER, H. et al. Vitamin A differentially regulates cytokine expression in respiratory epitelial and macrophage cell lines. Cytokine; 91:1-5, 2017.

6-HE, C.S.; FRASER, W.D.; TANG, J. et al. The effect of 14 weeks of vitamin D3 supplementation on antimicrobial peptides and proteins in athletes. J Sports Sci; 34(1):67-74, 2016.

Você também pode gostar de: